• qua. maio 29th, 2024

Pai, avô e tio são presos pela Polícia Civil-AM suspeitos de abusar sexualmente de criança em Careiro da Várzea

ByPor Redação

mar 9, 2024

Ainda há um quarto envolvido, que também seria tio da vítima e faz parte da rede de abuso

A Polícia Civil do Amazonas (PC-AM), por meio da 35ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP) de Careiro da Várzea (a 25 quilômetros de Manaus) e do Departamento de Polícia do Interior (DPI), com apoio da Delegacia Fluvial (Deflu), deflagrou operação policial, na sexta-feira (09/03), e prendeu três indivíduos por estupro de vulnerável contra uma criança de 9 anos. Eles são pai, avô e tio da vítima e o crime ocorreu em uma comunidade onde eles moravam com a criança.

Ainda há um quarto envolvido, que também seria tio da vítima e faz parte da rede de abuso. Ele fugiu no momento em que as equipes policiais chegaram ao local para dar cumprimento aos mandados de prisão e busca e apreensão.

O delegado-geral da PC-AM, Bruno Fraga, iniciou a coletiva de imprensa na sede da Delegacia Geral, neste sábado (09/03), agradecendo o esforço dos policiais civis da 35ª DIP de Careiro da Várzea, e continuou dizendo que, ao longo dos 14 anos nos quais atua na instituição, o crime no qual gerou a operação deflagrada na sexta-feira é o que mais o chocou a nível de comoção pública.

“É um crime absurdo, uma barbárie, pois se tratam de crianças que foram vítimas da própria família. Ontem efetuamos as prisões do pai, do avô e de um tio, e ainda existe um segundo tio que conseguiu fugir do local. Então é uma resposta da Polícia Civil a essa atrocidade”, disse.

O delegado-geral também agradeceu o apoio da deputada estadual Débora Menezes, que vem ajudando com a logística das operações, principalmente nos municípios onde as chegadas são complicadas.

“A Polícia Civil do Amazonas não irá admitir que crianças sejam violentadas em nosso Estado. Esse tipo de conduta, por mais longínquo que esteja acontecendo, não vai ficar impune. A PC-AM vai chegar lá, essas crianças têm voz e serão ouvidas por nossa instituição”, ressaltou.

O delegado-geral esclareceu, ainda, que a vítima e os criminosos moravam em uma comunidade afastada do município e, segundo apontam as investigações, o crime vinha acontecendo há mais de um ano.

“Além desta criança de 9 anos, também há outra que residia com os infratores e as investigações irão continuar para constatar que ela também teria sido abusada sexualmente por eles”, contou.

A deputada estadual Débora Menezes disse que tem atuado para que a Polícia Civil dê uma atenção redobrada aos crimes contra crianças e adolescentes no interior do Amazonas, uma vez que os municípios não são terra sem lei, por mais distantes que sejam.

“É por isso que tenho colocado o meu mandato à disposição para dar toda a estrutura necessária aos combates aos atos que ameacem a integridade das crianças e adolescentes”, ressaltou.

Segundo o delegado David Jordão, titular da 35ª DIP, as informações sobre o crime chegaram à equipe de investigação por meio do Conselho Tutelar do município e, conforme os levantamentos foram sendo realizados, foi possível estabelecer uma situação que causou uma perplexidade.

“Geralmente nós vemos um ou outro agressor, mas neste caso estávamos diante de vários agressores da mesma família, e a vítima era uma criança de 9 anos. A criança não era apenas abusada sexualmente, mas também era obrigada a realizar outras atividades envolvendo trabalho infantil”, explicou.

De acordo com o delegado, a vítima tinha obrigação de fazer afazeres domésticos, como cuidar das roupas dos envolvidos. Portanto, a exploração não se resumia apenas à dignidade sexual dela.

“Na data de ontem cumprimos mandados de prisão e busca e apreensão em nome destes indivíduos, que moravam em uma área ribeirinha de Careiro da Várzea. Durante a operação policial também encontramos uma arma que estava em posse dos envolvidos, que foram presos no momento da abordagem policial”, disse.

Ainda conforme o titular, um segundo tio da vítima também tem envolvimento com o crime e está foragido, pois conseguiu fugir do local no momento da ação policial.

“Neste momento pedimos que a população de Careiro da Várzea continue atenta e use os canais de denúncia para que possamos concluir as investigações com a prisão deste indivíduo”, enfatizou.

Segundo o delegado, as investigações também irão continuar no sentido de localizar a genitora da vítima, a fim de averiguar se ela tinha ciência da situação.

O delegado agradeceu ao Ministério Público do Amazonas (MPAM) e ao Poder Judiciário, que deu parecer positivo aos mandados solicitados, e também agradeceu à deputada Débora Menezes, que se colocou à disposição da Polícia Civil desde o início da ocorrência.

O delegado Paulo Mavignier, diretor do Departamento de Polícia do Interior (DPI), salientou que a operação policial realizada na sexta-feira representa um marco na região do Careiro da Várzea, pois se trata de um local de difícil acesso, exigindo uma atuação da Deflu para dar apoio à 35ª DIP.

“O sistema de segurança pública está trabalhando de forma integrada no combate à criminalidade. Vale ressaltar à população amazonense que em alguns municípios do Estado temos delegacias especializadas em crimes contra crianças e adolescentes, mulheres, idosos, que hoje contam com delegados de polícia”, falou.

Paulo Mavignier finalizou dizendo que a missão da Polícia Civil se concretiza quando as equipes policiais conseguem tirar as vítimas da rede de violência e prender os agressores.

“Também ao apoio da deputada Débora Menezes que nos ajudou, não só neste caso, mas também em outro caso semelhante que ocorreu em São Gabriel da Cachoeira (a 852 quilômetros de Manaus). Não é importante apenas a prisão do abusador, mas também o apoio pós operação da vítima que precisa de todo apoio psicológico, e a deputada tem feito isso com muita responsabilidade”, disse.

Procedimentos

Os indivíduos responderão por estupro de vulnerável, maus tratos e trabalho infantil e ficarão à disposição da Justiça.

FOTO: Divulgação/PC-AM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *